Notícias

Sala de Imprensa
Busca Avançada
Aumentos excessivos em hotéis serão encaminhados à Defesa do Consumidor 12/06/2013

Presidente da Embratur, Flávio Dino, anunciou, hoje, o envio do registro dos principais aumentos de preços durante os megaeventos para a Secretaria de Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça

O presidente da Embratur, Flávio Dino, anunciou, hoje (12) em Brasília, dados preliminares do levantamento feito pela instituição a respeito das tarifas cobradas por hotéis durante a Copa do Mundo 2014. A tarifa média do Rio de Janeiro durante os jogos da Copa é de 461 dólares, mais que o dobro da taxa média durante a Copa das Confederações deste ano. Em Fortaleza, que junto com o Rio receberá a maior parte dos jogos, a tarifa média é de US$ 355. Três vezes maior que a tarifa média de US$ 119 durante a Copa das Confederações.

 
“Esse aumento não consegue encontrar explicação em nenhuma projeção de inflação, carga tributária ou o chamado custo Brasil”, afirmou Dino. “Por isso, todos os casos considerados abusivos serão encaminhados à Secretaria de Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça”.
 
Na avaliação de Dino, esses aumentos, sem explicação, comprometem a principal possibilidade de ganho com os megaeventos: a projeção de imagem do país. “O conjunto de investimentos públicos que está sendo feito para a organização dos eventos visa, além da melhoria de vida da população dessas cidades, a projeção de imagem do Brasil como um ótimo destino turístico”, afirma. Com esses investimentos, Dino acredita que o país pode ter um crescimento sustentado do turismo internacional, que é uma importante alavanca de desenvolvimento econômico. “Mas isso está sob risco, caso os estrangeiros considerem nossos serviços caros”, aponta.
 
Pesquisa de Preços da Hotelaria
 
Após a Rio+20, primeiro da série de megaeventos que o país receberá, a Embratur criou um sistema de monitoramento de preços para que sirva de debate com a sociedade e o setor hoteleiro, a Pesquisa Internacional de Preços da Hotelaria (PPH), publicada no Diário Oficial da União em junho.
 
A pesquisa faz levantamento da média tarifária de hotéis em 10 cidades brasileiras e as compara com 10 cidades no exterior. A pesquisa leva em consideração os turistas que viajam a Negócios e Lazer. São utilizados os seguintes parâmetros: tempo entre a data da consulta e o início da hospedagem, período de estada, destinos pesquisados no Brasil e destinos pesquisados no exterior. Além disso, são catalogados os dados referentes às acomodações de três categorias: econômico, médio e alto conforto e, a menor e maior tarifa encontrada em cada estabelecimento com café da manhã incluso.
 
Os hotéis dos destinos brasileiros que são pesquisados a Negócios são: Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Recife, Curitiba, Belém, Salvador e Fortaleza. Já a Lazer os destinos são: Rio de Janeiro, Salvador, Fortaleza, Recife, Florianópolis, São Paulo, Manaus, Natal, Foz do Iguaçu e Gramado.
 
No exterior, são analisados os hotéis das seguintes cidades a Negócios: Santiago do Chile, Buenos Aires, Nova Iorque, Paris, Londres, Tóquio, Viena, Dubai, Milão e Frankfurt. E, a Lazer: Santiago do Chile, Buenos Aires, Nova Iorque, Paris, Londres, Miami, Sydney, Barcelona, Rep. Dominicana e Cancún.
 
Veja Também
Mais...