EMBRATUR

Visto eletrônico deve injetar R$ 1,4 bilhão na economia brasileira

por — publicado 17/04/2017 00h00,
última modificação 17/04/2017 17h21

Foto por: Divulgação

Embratur comemora decisão

Embratur comemora decisão

Medida válida para quatro países estratégicos contribuirá para alavancar o turismo internacional e a economia brasileira em dois anos

A partir do final de 2017, turistas provenientes dos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão terão mais facilidade e comodidade para viajar ao Brasil. Todo o processo de solicitação de vistos, pagamento de taxas, análise, concessão e emissão poderá ser feito pela internet, com a estimativa de que o processo completo dure apenas 48 horas.

O presidente da Embratur, Vinicius Lummertz, que já vinha pleiteando uma política de isenção de vistos de turismo para esses países, acredita que a emissão do visto eletrônico vai incentivar a vinda desses visitantes ao Brasil. “A exigência de visto de entrada é a barreira mais importante ao crescimento do turismo estrangeiro em qualquer país. De acordo com a Organização Mundial do Turismo (OMT), a facilitação de viagens pode gerar um aumento de até 20% no fluxo entre os destinos”, aponta Lummertz.

O governo brasileiro já conseguiu emplacar uma exceção temporária na política de reciprocidade diplomática para viajantes desses quatro países durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. A experiência representou aumento de 55,31% no número de estrangeiros com origem nos países beneficiados em relação ao mesmo período de 2015. Segundo pesquisa do Ministério do Turismo, 82% desses turistas afirmaram que a dispensa do visto facilitaria um retorno ao Brasil.

Essa facilitação, prevista no Plano Brasil + Turismo, lançado na semana passada pelo Ministério do Turismo, trará um grande incremento ao setor, como também contribuirá para fortalecer a economia brasileira, explica o presidente da Embratur. “Hoje o turismo representa cerca de 9% do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro. Números dos técnicos do WTTC (da sigla em inglês para Organização Mundial de Turismo e Viagens) indicam que, conforme vão diminuindo as restrições ao visto de entrada, os países podem apresentar um crescimento de 5% a 25% em arrecadação”, esclarece o executivo.

A medida atinge primeiramente esses quatro países por serem estratégicos, quando se fala em número de emissores e gastos em viagens. Em 2016, 849 mil turistas dos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão vieram ao Brasil – o que corresponde a 15% do total de 6,6 milhões de estrangeiros que estiveram no país no ano passado. Eles deixaram R$ 539 milhões na economia nacional. A previsão é que com a facilitação implantada no final de 2017, serão injetados R$ 1,4 bilhão extras na economia brasileira em dois anos.

Política de Vistos

O Brasil adota uma política de concessão de vistos com base no princípio da reciprocidade. Isso significa que pessoas dos EUA, Canadá, Austrália e Japão, países que exigem vistos de cidadãos brasileiros para entrada em seus territórios, também necessitam de visto para viajar ao Brasil. O visto eletrônico tem como objetivo facilitar a entrada desses turistas em terras brasileiras. Posteriormente, o visto eletrônica deverá se estender para Arábia Saudita, Qatar, Índia e China.

Atualmente, o Brasil possui entendimentos bilaterais sobre isenção de vistos com cerca de 90 países.

 

Voltar ao topo