EMBRATUR

Turismo engajado no combate ao Aedes aegypti

por — publicado 23/03/2016 00h00,
última modificação 23/03/2016 17h36

Convênio reúne principais atores do setor para reforçar contenção ao vetor de doenças no País 

Entidades da hotelaria brasileira oficializaram um convênio para o combate ao Aedes aegypti, vetor de doenças como dengue, chikungunya e zika. A assinatura aconteceu em Brasília durante encontro do Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). A proposta é mobilizar funcionários dos estabelecimentos, criar rotinas de inspeção para eliminar possíveis criadouros e promover a formação de agentes multiplicadores no setor. 

Durante o evento, Gilson Lira, presidente substituto da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), reforçou que em ano olímpico, a participação do setor ganha destaque nesse movimento. “O turismo já estava mobilizado no combate ao mosquito, mas agora unimos esforços nessa luta. A conscientização dos profissionais e da população é melhor solução para reduzir possíveis focos do mosquito. Estamos integralmente empenhados em garantir que os Jogos da Rio 2016 transcorram com segurança e tranquilidade, seja para atletas, equipes técnicas ou turistas”, afirmou. 

“Esse convênio incentiva o engajamento do setor hoteleiro nas práticas de contenção do mosquito. A campanha nasceu de uma iniciativa de sucesso do Departamento Nacional do Sesc, já implementada em mais de mil unidades do Sesc e do Senac, em todo o País”, afirmou o presidente do Cetur, Alexandre Sampaio. A campanha foca na comunicação e ação efetiva junto aos colaboradores dos meios de hospedagem.  

Sob o mote ‘Não deixe o mosquito bater ponto aqui’, a campanha será promovida pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH Nacional), pelo Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (FOHB), pela Associação Brasileira de Resorts (ABR) e pela Federação Nacional de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (FNHRBS) e pretende alcançar toda a rede hoteleira nacional. 

Para Antonio Carlos Nardi, secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, é preciso aumentar a efetividade no controle do mosquito e envolver todos os setores da sociedade. “O País está enfrentando um momento de suma importancia e gravidade, e esse combate é de todos nós. O controle não será vencido de forma alguma somente pelo setor da Saúde. É preciso envolver estados, municípios e a sociedade”, afirmou o secretário durante o evento. 

* Com informações da CNC

Voltar ao topo