Embratur

Turismo é destaque em agenda entre Brasil e China

por — publicado 24/05/2019 00h00,
última modificação 24/05/2019 18h16

Foto por: Divulgação

Comitiva brasileira na China

Comitiva brasileira na China

Embratur participa de reunião do Comitê de Coordenação e Cooperação de Alto Nível China-Brasil e pleiteia criação do setor de turismo no grupo de trabalho

A Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) compôs a delegação brasileira no Comitê de Coordenação e Cooperação de Alto Nível China-Brasil (Cosban), dias 22 e 23 de maio, em Pequim. A reunião foi comandada pelos vice-presidentes do Brasil e da China, Hamilton Mourão e Wang Qishan, respectivamente.

De acordo com o representante da Embratur, o diretor interino de Inteligência Competitiva e Promoção Turística, Diego Feijó, o encontro da Cosban, que completa 15 anos de criação hoje, abordou diversos temas estratégicos para a relação Brasil-China, entre eles, o turismo. O Cosban deve passar por uma reestruturação em sua composição. Com isso, deve ser criada, por pleito da Embratur, uma subcomissão de turismo para a próxima reunião do Comitê, que acontecerá no Brasil em 2021.

“Entre os temas debatidos, com foco no resgate e na reorganização da Cosban para o fortalecimento da cooperação econômica do Brasil, a Embratur recomendou a ampliação dos investimentos em promoção e apoio à comercialização do destino Brasil no exterior, em consonância à estratégia do Governo Federal de priorização do turismo como alavanca de desenvolvimento econômico e social do País”, informou Diego Feijó.

Nesse contexto, há mercados com canais de comercialização do destino Brasil já estruturados e que podem gerar resultados no curto prazo e há outros, como a China, em que ainda se faz necessário um trabalho de base para consolidação de resultados no médio prazo. Nessa estratégia, a Embratur projeta um potencial de crescimento na recepção de turistas chineses no Brasil de, no mínimo, 1.000% até 2030.

“Isso significa um incremento na geração de divisas provindas dos ingressos de turistas chineses no Brasil na ordem de R$ 3,4 bilhões, contribuindo para a geração de emprego e renda para o país”, conforme apontou o representante do Instituto. Segundo Diego Feijó, "os turistas chineses apresentam um dos maiores gastos médios em viagens do mundo e o potencial de crescimento receptivo do Brasil neste mercado é enorme, seja em ecoturismo e aventura, cultura ou turismo de negócios”. Cerca de 70% dos turistas chineses que hoje viajam ao Brasil são motivados pelo turismo de negócios.

Ações no mercado chinês

Entre os dias 13 e 23 de maio, a Embratur participou de diversas ações estratégicas para o turismo brasileiro no país asiático. Essa presença se iniciou com o roadshow “Brazilian Experience”, focado em treinamento de operadores de turismo e agentes de viagem e rodada de negócios, passando pelas cidades Pequin, Xangai e Chengdu. A ação foi fruto de parceria entre o Rio Convention & Visitors Bureau, o Visit Iguassu, o Aeroporto Rio Galeão e a Embratur.

No período de 15 a 17 de maio, o Instituto marcou presença na ITB China 2019, realizada na cidade de Xangai. O estande do Brasil foi um dos mais movimentados da feira, recebendo elogios do trade local e da organização do evento. Com a participação, a Embratur oportunizou plataforma de promoção e apoio à comercialização para parceiros estratégicos do turismo brasileiro, dos setores público e privado, realizarem negócios com profissionais do turismo chineses.

Segundo as projeções do setor, a China, que já é o maior emissor internacional de turistas do mundo, deve chegar a ser responsável por cerca de 450 milhões de viagens internacionais por ano já em 2030, o que significaria 1/3 de todo o volume anual de viagens internacionais do planeta. 

Voltar ao topo