Embratur

Site de notícias da Argentina indica visita a parques naturais brasileiros

por — publicado 28/08/2018 00h00,
última modificação 28/08/2018 17h11

Foto por: Embratur

Chapada dos Veadeiros (GO)

Chapada dos Veadeiros (GO)

Para a Embratur, os parques nacionais reforçam o potencial global do Brasil como destino turístico

O Brasil, que detém o título de primeiro do mundo no quesito recursos naturais, de acordo com o Fórum Econômico Mundial, está na lista de dicas do INFOBAE, um dos principais sites de notícias da Argentina. A matéria “Quatro parques nacionais imperdíveis para visitar no Brasil” apresenta destinos turísticos brasileiros voltados para o segmento de Ecoturismo e Turismo de Aventura. Os parques nacionais da Chapada dos Veadeiros (Goiás), da Chapada Diamantina (Bahia), da Tijuca (Rio de Janeiro) e da Serra da Bocaina (entre Rio de Janeiro e São Paulo) fazem parte da seleção.

De acordo com a Organização Mundial do Turismo (OMT), enquanto o turismo no geral avança 7,5% ao ano, a prática de Ecoturismo cresce 20%. Para a presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Teté Bezerra, além de contribuir para a preservação ambiental, a visitação nos locais onde os parques estão instalados também favorece a economia.

“Em busca de experiências autênticas, o turista que procura esses segmentos quer vivenciar diferentes destinos e atrativos que apresentem opções de experiências de aventura. O Brasil é considerado o País com maior potencial turístico em recursos naturais, por isso é de grande valia essa divulgação nos veículos internacionais. Mostra o que temos de melhor e desperta o interesse do viajante”, comenta a presidente.

A publicação do portal argentino apresenta um histórico dos parques. Segundo a matéria, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Alto Paraíso de Goiás, foi criado em 1961 e protege grande parte do cerrado brasileiro. “Seus quase 66 mil hectares abrigam cachoeiras, piscinas naturais e formações rochosas ao longo de um bilhão de anos”, diz o texto.

Segundo a Agência Espacial Americana (Nasa), a região da Chapada dos Veadeiros é um dos pontos de maior luminosidade visto da órbita da Terra, devido aos cristais de quartzo. Atravessado pelo paralelo 14 (como Machu Picchu, no Peru), “Alto Paraíso é também o centro de histórias sobre objetos voadores não identificados”.

Sobre a Chapada Diamantina, localizada no estado da Bahia, a matéria aponta como “um dos mais belos parques nacionais do Brasil”. Inaugurado em 1985, possui uma área de 152 mil hectares e abrange os municípios de Lençóis, Iraquara, Palmeiras, Mucugê, Ibicoara, Andaraí e Morro do Chapéu. Contém três biomas brasileiros: Mata Atlântica, Cerrado e Caatinga. Além da vegetação diversificada, abriga uma fauna muito rica, habitat de onças, jaguatiricas e veados. “É uma excelente opção para caminhadas, mountain bike, nadar em uma de suas 33 cachoeiras, escaladas e canoagem”, indica a publicação.

Já sobre a reserva natural da Tijuca, o texto informa que é possível o visitante desfrutar de vistas espetaculares de uma das cidades mais admiradas do mundo, o Rio de Janeiro. “O Parque Nacional da Tijuca é um dos pilares do turismo ecológico no sudeste do Brasil e preserva a biodiversidade da Mata Atlântica”. A matéria dá dicas de como chegar ao parque, seja por trem, ônibus, carro ou bicicleta.

O Parque da Serra da Bocaina, também destacado pelo portal, apresenta paisagens de montanhas e praias dos estados brasileiros do Rio de Janeiro e de São Paulo. “É uma área de preservação natural da biodiversidade, com o desenvolvimento de uma proposta de ecoturismo cada vez mais completa para seus visitantes”. Existem dois itinerários básicos: de um lado, a serra, com uma série de cachoeiras, picos e pontos de vista cativantes. O acesso é através de São José do Barreiro, a 273 km da cidade de São Paulo, onde o turista também pode visitar fazendas históricas. Do outro lado, o acesso pode ser através de Paraty, no estado do Rio, “uma cidade que goza de grandes vantagens logísticas e permite o acesso ao único trecho da reserva que possui atrativos marítimos”, afirma a publicação.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Voltar ao topo