Embratur

Rio aposta em calendário para atrair mais europeus

por — publicado 08/11/2017 00h00,
última modificação 08/11/2017 18h33

Foto por: Embratur

Presidente da Embratur, Vinicius Lummertz, participa de debate mediado pela OMT

Presidente da Embratur, Vinicius Lummertz, participa de debate mediado pela OMT

Sucesso alcançado durante a realização de grandes eventos, como Copa do Mundo e Jogos Olímpicos, é missão da  Embratur e do trade turístico da cidade

O Rio de Janeiro lançou na WTM Londres (a maior feira de turismo do mundo) seu calendário anual de eventos, com uma expectativa de alavancar fortemente os negócios com agentes de viagem, operadores e empresas aéreas da Europa. Manter o nível de presença alcançado durante os Jogos Olímpicos de 2016 e até melhorar essa performance é o desafio que tanto a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) quanto o trade turístico do Rio acreditam ser possível enfrentar e obter sucesso.

Na apresentação do calendário "Rio de Janeiro a janeiro" para imprensa e profissionais do turismo, nesta quarta-feira (8), em Londres, o presidente da Embratur, Vinicius Lummertz, lembrou que a cidade está pronta em termos de infraestrutura, e que tem experiência comprovada na realização de grandes eventos, citando a Copa do Mundo, a Olimpíada, o carnaval e o réveillon de Copacabana.

Sobre problemas com segurança, sempre apontados como um dos motivos que estariam desestimulando os turistas internacionais a procurar o Rio como destino, o presidente procurou relativizar: "O Euromonitor apresentou uma nova pesquisa ontem e o Rio de Janeiro continua sendo a cidade mais procurada pelos estrangeiros na América do Sul. A quem me pergunta sobre como me sinto ao divulgar uma cidade com pouca segurança, prefiro devolver com outra pergunta: você se sente mais seguro no meio de dois milhões de pessoas em Copacabana no Ano Novo, ou em grandes cidades europeias onde o terrorismo ataca onde menos se espera?".

Michel Nagy, diretor do Rio Convention and Visitors Bureau, lembrou que a ampliação das linhas do metrô, a instalação do BRT, do VLT, os novos museus e demais atrações da área central do Rio de Janeiro, aliados ao investimento maciço do setor privado em grandes hotéis, que mais que dobrou a capacidade nos últimos dez anos (são mais 60 mil leitos), fazem com que o Rio esteja realmente preparado para receber de maneira segura os grandes e pequenos eventos. "Temos a beleza natural, o carioca, boa infraestrutura, muitas opções de cultura, gastronomia, aventura, além do clássico sol e mar. E com o calendário (são doze grandes eventos e mais de 100 menores), garantimos a segurança", resumiu Nagy.

Investimentos

No debate organizado pelo WTM com ministros de outros países que fizeram análises sobre suas potencialidades e os rumos do turismo mundial, o presidente da Embratur afirmou que o Brasil está pronto, não só para receber os turistas de todo o mundo, mas também os investidores internacionais do setor. Ele participou do evento mediado pelo diretor executivo da OMT (Organização Mundial do Turismo), Carlos Vogeler, a ministra do Turismo da Bulgária, Nikolina Angelkova, e a do Marrocos, Lamia Boutaleb.

Lembrando que estão na pauta de votação da Câmara projetos de lei importante que vão dar mais segurança aos turistas e aos investidores, como o que propõe a abertura do capital das empresas aéreas a estrangeiros, bem como o que trata da transformação da Embratur de autarquia em uma agência com mais independência, Lummertz foi enfático: "nosso governo está fazendo as grandes reformas estruturais, como a trabalhista e a da previdência. Quando tivermos feito também as microreformas da nossa área, teremos um melhor ambiente para negócios".

Voltar ao topo