EMBRATUR

Futuro do turismo de negócios é debatido no Rio

por — publicado 05/09/2017 00h00,
última modificação 05/09/2017 17h02

Foto por: Ascom ABEOC

Marco Lomanto da Embratur durante sua participação no evento ABEOC

Marco Lomanto da Embratur durante sua participação no evento ABEOC

Embratur participa do 27º Congresso Brasileiro de Empresas e Profissionais de Eventos, realizado pela ABEOC

O fortalecimento do segmento MICE – Mettings, Incentives, Conventions and Events (Encontros, Incentivos, Convenções e Eventos), pauta prioritária da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), foi discutido durante o 27º Congresso Brasileiro de Empresas e Profissionais de Eventos. O congresso, promovido pela Associação Brasileira de Empresas de Eventos (ABEOC Brasil), aconteceu no Rio de Janeiro, de 31 de agosto a 2 de setembro. 

“O nosso objetivo é desenvolver novas estratégias para a promoção dos destinos no exterior”, destacou, na ocasião, o chefe da Assessoria de Projetos e Parcerias do Instituto, Marco Antônio Lomanto. Segundo ele, para concretização dessas estratégias, a parceria com o trade é fundamental e essencial para a realização de eventos deste porte.

O turismo de Negócios e Eventos é o segundo segmento da lista que mais contribui no fluxo internacional de visitantes para o Brasil, após o de Lazer. “Com um gasto médio diário de US$ 329,39 – conforme pesquisa realizada pela Embratur em parceria com a Fundação Getúlio Vargas –, o turista estrangeiro de Negócios e Eventos faz ainda uma divulgação espontânea do destino, estimulando a vinda de futuros visitantes, se mostrando de grande valia para o turismo no Brasil”, completou Lomanto.

O encontro no Rio de Janeiro teve como objetivo promover a troca de experiências para chegar a um planejamento conjunto de atuação estratégica na defesa dos interesses do setor de eventos.

Informações do segmento

O Brasil permaneceu em 1º lugar entre os países da América Latina que mais receberam eventos em 2016, de acordo com a ICCA (Associação Internacional de Congressos e Convenções). Nas Américas, o País fica em terceiro atrás apenas dos Estados Unidos e Canadá.

Desde 2003, quando a Embratur passou a se dedicar exclusivamente à promoção do Brasil como destino turístico no exterior, os Congressos e Convenções de Negócios subiram 294%, de 62 para 244 eventos no total. No mesmo período, o número de cidades que sediaram esse tipo de evento subiu de 22 para 45.

A Embratur investe no Programa de Apoio à Captação e Promoção de Eventos Internacionais desde 2004, com o intuito de sensibilizar e mobilizar a cadeia produtiva do turismo MICE para consolidar o Brasil como um destino de encontros e eventos internacionais.

Voltar ao topo