Embratur

Embratur e ex-ministro do Turismo da Argentina discutem estratégias para divulgação do verão no Brasil para a América Latina

por — publicado 15/07/2020 00h00,
última modificação 15/07/2020 15h21

Foto por: Divulgação

Reunião com o ex-ministro argentino e sua equipe foi realizada por videoconferência

Reunião com o ex-ministro argentino e sua equipe foi realizada por videoconferência

Em reunião realizada por videoconferência entre o presidente da Embratur (Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo), Gilson Machado Neto, e o ex-ministro do Turismo da Argentina, Gustavo Santos, nesta quarta-feira (15/7), foram discutidas estratégias para desmistificar notícias falsas ou com meias verdades veiculadas em países vizinhos sobre a situação do Brasil durante a pandemia de coronavírus. Para isso, apresentar o cenário real e atual do Brasil, levando em consideração a esperada volta de turistas internacionais ao Brasil já para o próximo verão, foi a pauta da reunião. Além de Gilson Machado e Gustavo Santos, participaram também os diretores da Embratur Osvaldo Matos, de Marketing e Comunicação, e Carlos Brito, de Gestão Corporativa.

Acompanhado de sua equipe, Gustavo Santos apresentou um compilado de matérias com teor negativo sobre o Brasil, publicadas recentemente imprensa de países vizinhos, especialmente da Argentina, mas também do Paraguai, Chile e Uruguai. Somados, estes quatro mercados representam aproximadamente 50% dos turistas internacionais recebidos pelo Brasil anualmente. “Há matérias publicadas anunciando que o presidente Bolsonaro esteve internado por conta de Covid-19, o que não é verdade, além de outras reportagens extremamente alarmistas sobre a propagação do coronavírus no Brasil, como se o cenário fosse muito negativo”, explicou Santos.

O presidente da Embratur, Gilson Machado Neto, agradeceu pelo trabalho exposto pelo ex-ministro argentino e indicou que ainda que a Embratur esteja atuando para a promoção do turismo doméstico durante a pandemia, como determinado pelo Congresso Nacional durante a tramitação da Medida Provisória 907, o relacionamento com o trade internacional segue no radar. “Fomos transformados em Agência, o que nos garantirá mais flexibilidade de atuação no exterior, mas, durante a pandemia e até seis meses após, estaremos atuando alinhados ao Ministério do Turismo para promoção dos nossos destinos para os próprios brasileiros. Ainda assim, faremos o possível para evitar que notícias contaminadas pelo viés ideológico de seus autores não sejam as únicas a chegarem ao conhecimento dos turistas dos países vizinhos”, indicou Gilson Machado Neto, fazendo referência à Lei 14.002/20, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro no dia 22 de maio.

Uma série de medidas para reversão da imagem negativa passada para os argentinos, paraguaios, chilenos e uruguaios, entre outros mercados, deverão ser elaboradas. Roberto Santos se colocou à disposição para ajudar neste processo. “Os meses de verão são responsáveis por 70% da entrada de visitantes destes países no Brasil”, indicou o ex-ministro argentino. Concordando com a grande importância do verão para a entrada de turistas estrangeiros no país, o presidente da Embratur ressaltou: “É por isso mesmo que, ainda que estejamos atuando dentro do Brasil neste momento, temos total interesse em fazer com que nossos vizinhos não sejam influenciados negativamente por estas notícias alarmistas”, disse Gilson Machado Neto.

Voltar ao topo