Embratur

Embratur e ANAC debatem a importância da abertura do mercado aéreo

por — publicado 11/07/2019 00h00,
última modificação 11/07/2019 12h24

Foto por: Pablo Peixoto/Embratur

Diretor-presidente da ANAC e presidente da Embratur na sede do Instituto

Diretor-presidente da ANAC e presidente da Embratur na sede do Instituto

Palestra na sede do Instituto abordou as medidas que o Governo Federal tem implementado para fortalecer o setor aéreo no Brasil  

“Conectividade aérea em um país com dimensões continentais é uma condição fundamental para o desenvolvimento do turismo”: foi assim que o presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Gilson Machado Neto, abriu o debate que contou com a presença do presidente da Agência Nacional de Aviação Civil, a ANAC, José Ricardo Botelho, e também com os servidores da Embratur. O foco do encontro que ocorreu nesta quarta-feira (10) foi esclarecer as novas regulamentações que abrem o mercado aéreo Brasileiro aos profissionais que realizam a promoção internacional do turismo nacional.

O presidente da ANAC explicou que a aviação civil brasileira passa por uma evolução constante, para manter-se competitiva e garantir que os passageiros brasileiros sejam atendidos de maneira segura e adequada. “Se não fizéssemos a lição de casa iríamos perder ainda mais a competitividade perante mercados emergentes, como a China, por exemplo”, disse José Ricardo Botelho. Por conta disso, a nova regulamentação que permite o até 100% do capital em companhias aéreas, a chegada de empresas low cost, a redução da tributação nos estados, concessão da operação de aeroportos são ações determinantes, que tem promovido o avanço no setor aeroviário brasileiro.

Hoje o Brasil é um dos 5 países mais seguros para se voar, e o Governo Federal mostra que o desenvolvimento de infraestrutura e condições para investimentos no setor são prioridades.

O presidente da ANAC falou ainda sobre o potencial destes setores que atuam em conjunto.  “Turismo e aviação tem tudo a ver. O desenvolvimento dos setores são interligados, e juntos quantos empregos estes setores podem gerar?”, reforçando ainda que com a chegada das companhias internacionais, a mão de obra continua sendo brasileira, de acordo com a lei dos aeroviários. Botelho ainda frisou que, nos eventos internacionais que participa, o Brasil é destaque e atraia a curiosidade e desejo de viajantes de diversos países: “o mundo quer vir para o Brasil”.

“O evento com a ANAC foi muito importante para esclarecer e reforçar as informações sobre as leis e regulamentações do setor aeroviário aos nossos servidores e colaboradores. Nossa função é auxiliar os destinos brasileiros a realizar a promoção internacional e, da mesma forma, estamos em constate contato com agências e operadores de mercados importantes, por isso a necessidade de atualizar nossos profissionais”, concluiu Gilson Machado Neto.

O evento aconteceu na sede da Embratur, em Brasília, e contou com a participação de mais de 50 pessoas na tarde de ontem.

Programa Investe Turismo

Hoje, em Salvador, capital da Bahia, o presidente da Embratur estará presente na apresentação do Investe Turismo, programa em parceria com Sebrae e Ministério do Turismo, visando desenvolver e investir nas rotas turísticas estratégicas “Salvador e Morro de São Paulo” e “Costa do Descobrimento”. As rotas contemplam os municípios de Salvador, Mata de São João, Cairú, Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália.

Voltar ao topo