Embratur

Embratur apresenta estratégias de desenvolvimento do turismo

por — publicado 26/10/2015 00h00,
última modificação 26/10/2015 16h35

Foto por: Fredy Uehara

Vinícius Lummertz em discurso no almoço-debate do LIDE

Vinícius Lummertz em discurso no almoço-debate do LIDE

Vinícius Lummertz defende a captação de investimentos externos para impulsionar o setor e a economia nacional
 
O presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Vinícius Lummertz, destacou nesta segunda-feira (26), em reunião com empresários, a necessidade de o Brasil atrair investimentos na área turística para dinamizar a economia brasileira. Durante sua participação no almoço-debate promovido pelo LIDE (Grupo de Líderes Empresariais), em São Paulo, Lummertz defendeu a união das empresas do setor turístico numa entidade que congregue as associações do trade, citando o caso das indústrias, com a FIESP e a CNI.
 
Na visão de Lummertz, o Brasil deveria utilizar exemplos de sucesso como benchmark e construir uma espécie de ‘CNI do turismo’, para então, junto com o poder público, enfrentar o mercado internacional e transformar o turismo no Brasil, de uma vez por todas, numa notável opção para impulsionar a economia nacional: "É hora do setor privado se unir num grande pacto para buscar soluções junto com o setor público. A Embratur está pronta para encarar esse desafio".
 
Ainda segundo o presidente da Embratur, o turismo deve ser encarado como uma indústria capaz de gerar renda em todo o País. “Precisamos diminuir a burocracia e estimular os negócios turísticos, que chegam a influenciar 53 diferentes setores da economia. A própria indústria é afetada quando se desenvolve o turismo. Um exemplo é o que aconteceu com os aeroportos brasileiros, que melhoram significativamente nos rankings de avaliação após as parcerias público-privadas”, disse.
 
Em sua apresentação, Lummertz também revelou as potencialidades da integração das cadeias produtivas internacionais do turismo. Segundo ele, a captação de investimentos externos facilita essa incorporação, principalmente quando há maior diálogo entre governo e a iniciativa privada. Lummertz registrou ainda que, para integrar definitivamente o Brasil nesta rede mundial, a Embratur tem ampliado seu escopo de atuação, agora também com o objetivo de atrair investimento estrangeiro e melhorar o ambiente de negócios.
 
“Estamos atuando em conjunto com as companhias aéreas na divulgação e na promoção do Brasil. Num País em que o transporte aéreo é fundamental para viabilizar o turismo, as parcerias que já fizemos com a Gol e a TAP mostram um caminho interessante para promover os destinos brasileiros no exterior, ações que poderão contar também com o apoio da rede hoteleira e de operadoras”, destacou Vinicius.
 
Por sua vez, o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, reforçou que para alcançar o cenário desejado, o Brasil deve traçar uma agenda positiva que envolva o setor público e privado. “Precisamos nos unir para alavancar os investimentos no País. Temos que trabalhar juntos para trazer resultados concretos para a economia brasileira”, completou Alves durante sua participação no debate.
 
Ranking internacional
Na oportunidade, Vinicius Lummertz reforçou a comparação do Brasil com 140 países, onde se destaca em primeiro lugar no mundo em potencial de belezas naturais. “Na contramão, estamos na 135ª posição dos países com potencial para se abrir um negócio no setor de turismo. Tais fatos precisam ser levados em consideração e este cenário precisa mudar, definitivamente”, defendeu o presidente, que encara como missão de sua gestão facilitar a construção de grandes empreendimentos no Brasil.
 
Ainda durante o LIDE, Lummertz divulgou a nova campanha de verão da Embratur aos participantes do encontro. O material intitulado “Viva o verão de perto – Venha para o Brasil” é direcionado para Argentina, Chile, Paraguai, Uruguai, Peru e Colômbia. “Estamos focados na promoção internacional nos países da América do Sul, com investimentos de R$ 9 milhões na campanha. Durante visitas feitas a alguns destes países, fortalecemos o contato com as agências de viagens, que já estão usando o material e vendendo pacotes para o Brasil. Nosso objetivo é impulsionar o turismo no Brasil”, defendeu Lummertz.

Voltar ao topo