Embratur

Cresce conexão aérea dos continentes para o Brasil

por — publicado 02/08/2018 00h00,
última modificação 02/08/2018 14h23

Foto por: Roberto Castro/MTur

Desembarques no Brasil

Desembarques no Brasil

Boletim da Malha Aérea Internacional da Embratur registra bons resultados no mês, em comparação ao mesmo período de 2017

Durante o mês de julho de 2018, os números de voos e assentos da malha aérea internacional para o Brasil aumentaram nos continentes. Em comparação ao mesmo período do ano passado, ao todo, houve um acréscimo de 11,24% na oferta mensal de voos diretos (4.942 para 5.611 frequências mensais) e, também, nos assentos (11,41%), passando de 1.153.194 para 1.256.235.

Para o coordenador-geral de Inteligência Competitiva e Mercadológica do Turismo da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Alisson Andrade, isso se deve, também, ao aumento da procura de turistas pelo Brasil.

“Com a facilitação dos vistos eletrônicos; ações específicas realizadas nos mercados internacionais, em parceria com as companhias aéreas, e as campanhas promocionais da Embratur são alguns dos motivos para este crescimento. A ampliação de voos internacionais é um dos principais pontos da agenda governamental do Instituto e do Ministério do Turismo”, destacou Alisson.

De acordo com os dados do Boletim da Malha Aérea da Embratur, para a América Latina, houve uma melhora significativa em julho deste ano, em relação ao mesmo período de 2017. O acréscimo foi de 14,62% no número de voos (passou de 2.825 para 3.238) e, nos assentos, foi de 12,86% (passando de 508.945 para 574.412).  

“Os números mostram que a estratégia de promoção da Embratur, com foco nos vizinhos sul-americanos, pode ser um dos fatores determinantes para o crescimento do turismo brasileiro”, informou o coordenador Alisson Andrade.

Na América do Norte, o aumento de voos diretos foi de 8,25% e, nos assentos, de 10,97%. No continente Europeu, o crescimento do número de voos foi de 5,77% e, de assentos, 10,7%. No continente asiático, em relação a julho de 2017, houve aumento apenas nos assentos, já que não ocorreu alteração nas frequências, totalizando 124 voos. Os assentos passaram de 45.043 para 45.787. Entretanto, ocorreram grandes acréscimos no continente africano: 13,53% no número de voos (que passou de 133 para 151) e 12,09% nos assentos (passando de 32.940 para 36.921).

 

 

Voltar ao topo