Embratur

Brasil e Japão alinham ações para aumentar fluxo de turistas

por — publicado 22/01/2018 00h00,
última modificação 22/01/2018 19h07

Foto por: Embratur

Evento de divulgação do visto eletrônico no Japão

Evento de divulgação do visto eletrônico no Japão

Embratur participa de evento na capital japonesa para divulgação do visto eletrônico. Iniciativa pode aumentar em até 25% o número de turistas japoneses no Brasil

Nesta segunda-feira (22), foi realizado na Embaixada do Brasil, em Tóquio, evento para divulgação do visto eletrônico para os turistas japoneses que desejam visitar o Brasil. A facilidade entrou em vigor no dia 11 de janeiro e reduz todo o processo de solicitação do documento de 40 dias para 72 horas, com custo de US$ 40,00. Segundo a Organização Mundial do Turismo, a iniciativa pode aumentar em até 25% o fluxo turístico entre os países, ou seja, trazer 20 mil japoneses a mais para o Brasil, o que representa a injeção de US$ 101,6 milhões na economia nacional. Em 2016, cerca de 80 mil japoneses escolheram o Brasil como destino turístico.

No encontro, foi realizada uma coletiva de imprensa com a mídia japonesa e um treinamento com trade local ministrado pela Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo). De acordo com o presidente do instituto, Vinicius Lummertz o visto eletrônico representa um grande avanço para atrair mais japoneses para os destinos brasileiros. “A facilidade e agilidade do sistema estimula a vinda de mais turistas da região que poderão conhecer a cultura e se encantar com a beleza dos parques nacionais brasileiros”, afirma.

O coordenador-geral de Segmentos Turísticos da Embratur, Alexandre Nakagawa representou a Embratur em Tóquio e avalia de forma positiva a ação no Japão. “O objetivo é ganhar mais espaço e vantagem competitiva neste concorrido mercado. Nossos concorrentes investem no Japão e precisamos de foco para não dependermos apenas do turismo corporativo e atrair mais japoneses que viajam a lazer”, defende.

Para Nakagawa, trata-se de um mercado importante, pois o perfil do turista japonês que visita o país tem gasto diário considerável (US$ 86,69) e busca por cultura e natureza, segmentos nos quais o Brasil tem grande potencial.

“Os japoneses já costumam visitar os parques nacionais brasileiros, como Foz do Iguaçu e Lençóis Maranhenses. A ideia é divulgar outros parques e atrair mais visitantes que também se interessam pela música e gastronomia brasileira. Além disso, precisamos preparar o trade turístico nacional para o aumento da demanda que o visto eletrônico pode gerar”, explica.

Além da divulgação do visto eletrônico para os turistas japoneses, o evento teve a assinatura do memorando de entendimento entre o Ministério do Turismo e a Agência Japonesa de Turismo. O documento, assinado pelo presidente da agência japonesa, Akihiko Tamura e pela secretária Nacional de Qualificação e Promoção do Turismo, Teté Bezerra, prevê o aprimoramento das relações entre os dois países, com o compartilhamento de ideias e projetos para aumentar o fluxo turístico bilateral.

Nesta semana, o presidente da Embratur, Vinicius Lummertz viaja para Nova Iorque, nos Estados Unidos, para o lançamento do visto eletrônico para os turistas norte-americanos. Trata-se de outro mercado prioritário que passará a contar com a facilidade. Além do Japão, Austrália e Canadá já contam com o novo sistema. Os Estados Unidos são o segundo maior mercado emissor de turistas para o Brasil, atrás apenas da Argentina. Por ano, mais de 570 mil norte-americanos viajam para o Brasil e injetam US$ 710,5 milhões na economia nacional.

Voltar ao topo