EMBRATUR

Brasil e Argentina atuam integrados para promover o turismo

por — publicado 21/01/2016 00h00,
última modificação 21/01/2016 15h41

Foto por: Ascom/Embratur

Ministros do Turismo do Brasil e da Argentina, Henrique Alves e Gustavo Santos, respectivamente, e presidente da Embratur, Vinícius Lummertz, se encontram na Fitur 2016

Ministros do Turismo do Brasil e da Argentina, Henrique Alves e Gustavo Santos, respectivamente, e presidente da Embratur, Vinícius Lummertz, se encontram na Fitur 2016

Países vizinhos firmam acordo para promover turismo nos mercados internacionais

Brasil e Argentina passarão a promover o turismo de maneira integrada em todo o mundo. A proposta é apresentar atrações dos dois países com uma promoção única. Os ministros de Turismo Henrique Eduardo Alves (Brasil) e Gustavo Santos (Argentina), acompanhados do presidente da Embratur (Instituto Brasileiro do Turismo), Vinícius Lummertz, firmaram acordo nesse sentido nesta quinta-feira (21), em Madri, durante a Fitur, uma das maiores feiras de turismo do mundo.

“Imagina a força que têm juntos a Amazônia e a Patagônia, o samba e o tango, o peixe e a carne", ressaltou o ministro brasileiro. Gustavo Santos concordou e propôs que os dois países formalizassem um acordo com atribuições objetivas previstas para cada uma das partes: "Temos tudo para trabalhar de forma integrada e articulada". O próximo encontro entre os dois ministros ficou marcado para a WTM Latin América, em São Paulo, no mês de março.

A Argentina é o principal emissor de turistas para o Brasil. Historicamente, o país responde por mais de 20% do total de estrangeiros que desembarca no território brasileiro. Em 2014, dos 6,4 milhões de turistas internacionais, 1,74 milhão eram argentinos. Somente em 2015, os hermanos investiram US$ 60 milhões em promoção internacional, três vezes mais que o Brasil, que destinou menos de US$ 20 milhões para divulgar os destinos turísticos no mundo.

Na avaliação de presidente da Embratur, que acompanhou a reunião, é preciso buscar fontes alternativas de receita para impulsionar o turismo internacional no Brasil. "Investimos muito menos que os nossos concorrentes diretos e, com isso, a disputa pelo acirrado mercado de viagens internacionais fica prejudicada", comentou Vinícius Lummertz.

"Com uma ação conjunta, podemos criar uma integração efetiva no Mercosul. Hoje, o bloco econômico apresenta poucos resultados reais para os envolvidos. Poderíamos dar o exemplo no turismo", afirmou Santos. Ele sustentou que os parques nacionais fossem um dos focos do trabalho integrado e citou o Parque de Iguaçu como um grande ícone de aliança entre os dois países.

Durante a manhã, Alves e Lummertz estiveram com os ministros do Turismo de Andorra, Francesc Camp Torres, e do Líbano, Michel Pharaon. Torres demonstrou interesse em estimular os brasileiros que visitam Barcelona a esticarem a viagem até Andorra: "Temos excelentes locais para comprar e esquiar, duas coisas que os brasileiros gostam". Em resposta, Alves comprometeu-se a fazer a interlocução com as entidades representantes das operadoras e agências de viagens brasileiras.

Michel Pharaon convidou o Brasil a participar do 42º encontro da Organização Mundial de Turismo (OMT) para a Comissão do Oriente Médio. "É a primeira vez que recebemos este evento em mais de 15 anos e vamos escolher convidados especiais em cada um dos continentes. O Brasil é um deles", comentou. O encontro será realizado de 29 a 31 de maio.

Com informações do Ministério do Turismo

 

Voltar ao topo