Embratur

Ações da Embratur contribuem para melhorar a economia brasileira

por — publicado 05/03/2018 00h00,
última modificação 06/03/2018 10h13

Janeiro registra recorde do gasto de turista estrangeiro no Brasil

A Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) participou diretamente do resultado que, de acordo com o levantamento do Banco Central, foi o maior registrado para o primeiro mês do ano em toda a série histórica iniciada em 1990. Comparado com os demais meses, a receita com o turismo internacional só não foi maior que junho e julho de 2014, meses da Copa do Mundo, quando o montante foi de US$ 793 milhões e US$ 785 milhões, respectivamente.

A primeira campanha totalmente digital do Instituto, por exemplo, registrou em dois meses mais de 50 milhões de views dos vídeos, o que resultou melhor movimento de turistas sul-americanos ao Brasil dos últimos cinco anos. As interações atingiram a marca de 300 mil no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube, contabilizando apenas os canais da Embratur.

A implantação do visto eletrônico, certamente, fará com que fevereiro esse número aumente. No balanço feito após a adoção da medida, levando-se em conta os primeiros 22 dias do mês de fevereiro, comparado ao mesmo período de 2017, o Ministério das Relações Exteriores registrou um aumento de 80% nos pedidos de visto nos Estados Unidos. Também foi apontado um aumento de 35% nos pedidos feitos no Japão, assim como de 64% na Austrália. Quanto ao Canadá houve um aumento de 23%.

“É só o começo! Tenho certeza de que a abertura internacional do Brasil com o visto eletrônico vai movimentar a economia nacional, gerar emprego e renda para o país”, comentou o ministro do Turismo, Marx Beltrão.

“Não há dúvida que o nosso resultado influencia no aumento de atração dos turistas estrangeiros e, consequentemente, no gasto desse viajante no País. Acreditamos, também, que o plano Brasil + Turismo, medidas para fortalecer o setor no País, irá contribuir para este aumento. O pacote engloba, além da emissão de vistos eletrônicos, a ampliação da conectividade aérea, modernização da Lei Geral do Turismo, melhor aproveitamento de áreas da União, qualificação profissional, fortalecimento dos órgãos estaduais de turismo, a transformação da Embratur em serviço social autônomo (agência)”, destaca o presidente do Instituto, Vinicius Lummertz.

O PL 2724/2015, que eleva, também, a participação do capital estrangeiro com direito a voto nas empresas de transporte aéreo está para ser votado, em caráter de urgência, na Câmara dos Deputados. “Com o aumento da conectividade seremos mais produtivos, e chegar próximos a patamares internacionais. Isso fará com que o Brasil consiga subir alguns degraus na competitividade, tanto para o turismo, quanto na atração de investimentos para o País”, afirma Lummertz.

Segundo o presidente da Embratur diante dos entraves burocráticos, o Brasil consegue avançar de maneira mais eficaz, impulsionando a economia e fortalecendo diversos setores da cadeia produtiva. “É preciso haver um reforço na promoção e na modernização da autarquia como forma de ampliar ainda mais o faturamento do País com os visitantes internacionais e reduzir o déficit na balança comercial do turismo”, finaliza. 

Na comparação entre janeiro de 2018 e o mesmo mês de 2017, o salto na receita com o turismo internacional foi de 17,86%. No primeiro mês do último ano, os estrangeiros injetaram US$ 661 milhões contra os US$ 779 milhões deste ano.

 

 

 

Voltar ao topo