Embratur

Notícias

Trabalho norteará ações de promoção do turismo no exterior 13/06/2018

Trabalho norteará ações de promoção do turismo no exterior

Estudo da FGV, encomendado pela Embratur, auxilia no planejamento de estratégias inovadoras para promover o Brasil e atrair mais turistas internacionais. A Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) atravessa uma fase de transformação institucional com objetivo de se reposicionar no mercado internacional e buscar estratégias inovadoras de promoção para tornar o Brasil um destino cada vez competitivo. Para conhecer a fundo a dinâmica atual de intensa competição neste cenário, o Instituto encomendou um complexo trabalho de pesquisa e estudos à FGV (Fundação Getúlio Vargas) sobre o panorama da promoção internacional do turismo no mundo. Nesta segunda-feira (11), pesquisadores da fundação se reuniram com o corpo diretivo e técnico na sede da autarquia, em Brasília, para apresentar a primeira de oito entregas do estudo. A análise inicial atesta a necessidade da Embratur se modernizar e seguir exemplos de organizações de sucesso que atuam na promoção internacional com modelos híbridos e mais flexíveis - os DMOs (Destination Marketing Organizations), como a Brand USA, dos Estados Unidos. Esses órgãos de turismo atuam de forma moderna e podem contar com fontes alternativas de recursos. O estudo também analisa o trabalho dos ITOs (International Tourism Offices) espalhados pelo mundo e que desempenham a mesma função dos EBTs (Escritórios Brasileiros de Turismo) da Embratur no exterior. Um dos objetivos da pesquisa é servir como base para a criação de um plano de ação para o modelo de operação da Nova Embratur, com a possível mudança no modelo de gestão do Instituto. Tramita em caráter de urgência, na Câmara dos Deputados, o PL 2724/2015, que transforma a Embratur em agência, nos moldes da Apex e Sebrae. A mudança pode potencializar os investimentos em promoção dos destinos brasileiros no exterior. No modelo atual, a Embratur é uma autarquia vinculada ao Ministério do Turismo, tendo como única fonte de recursos o orçamento da União. Segundo a presidente da Embratur, Teté Bezerra, as mudanças são salutares e podem resultar em métodos inovadores de promoção internacional em um mercado cada vez mais competitivo. “Nosso objetivo é modernizar a atuação da Embratur, independentemente da aprovação, em curto, médio ou longo prazo da mudança no modelo de gestão do Instituto. Nossos concorrentes da América do Sul, por exemplo, têm planejado e investido mais em promoção e já se aproximam do Brasil no número de turistas internacionais”, ressalta. Teté Bezerra considera importante que a promoção do Brasil no exterior seja intensificada em países limítrofes. Segundo a OMT (Organização Mundial do Turismo), cerca de 90% do turismo internacional é realizado entre países próximos ou que compartilham limites geográficos. A presidente cita o Chile como exemplo. “Quase 4,5 milhões de chilenos viajam para fora de suas fronteiras por ano e cerca de 300 mil vem ao Brasil, o que mostra que temos potencial de crescimento nos países vizinhos. Precisamos inovar e investir em novos mercados e não apenas nos tradicionais e maiores emissores. É importante se aproximar destes mercados, buscar novas ferramentas de promoção e mais investimentos. Além disso, incrementar segmentos robustos como o Turismo de Eventos”, pondera. CRESCIMENTO A metodologia utilizada na fase inicial do estudo elencou quatro objetos de pesquisa centrais: resultados do turismo internacional; tendências de consumo no turismo; mercados prioritários e tendências de atuação dos DMOs e ITOs. A pesquisa identifica que o turismo internacional continua em rota ascendente e com desempenho superior às expectativas. Em 2017, o número de chegadas internacionais cresceu 6,7% e de receitas internacionais teve alta 4,8%. As perspectivas para os próximos anos também são promissoras, inclusive no Brasil. O crescimento esperado das chegadas internacionais no país até 2022 é de 23%, segundo previsões do Instituto Euromonitor. De acordo com o assessor de Gestão Estratégica da Embratur e coordenador do projeto “Laboratório de Inovação” VisitBrasil, Rafael Felismino, essa previsão se baseia no fato de que a promoção do turismo brasileiro do exterior permaneça da mesma forma que é feita atualmente. “Com as mudanças na gestão, modernização da Embratur e novas ferramentas e iniciativas, estaremos investindo no descolamento da tendência de crescimento e, assim, alcançaremos resultados mais expressivos”, analisa. O pesquisador da FGV André Coelho afirma que o turismo seguirá crescendo no mundo e destaca que o setor no Brasil acompanha o ritmo de crescimento mundial.  “O turismo não vai parar de crescer. A tendência é que o setor cresça tanto no número de viagens internacionais quanto na geração de empregos”, explica. Para ele, o estudo pode ser útil para definição de ações estratégicas para o melhor aproveitamento do potencial que o Brasil tem no setor de turismo em diversos segmentos. “O país não se destaca apenas no segmento Sol e Praia. Também tem grandes ativos nos nichos de Cultura e Turismo de Natureza, muitos procurados por turistas estrangeiros”, completa. A expectativa é que o resultado completo deste trabalho seja apresentado durante a ABAV Expo 2018, prevista para o mês de setembro, em São Paulo. Participaram também da apresentação da primeira fase do estudo os pesquisadores da FGV, Marcelo Minutti e Cintia Melchiori, o chefe de gabinete da Embratur, Hercy Ayres Filho, e o diretor de Marketing, Walter Vasconcelos, além de técnicos e coordenadores do Instituto.  

Notícias

Operadores uruguaios descobrem os encantos do Rio Grande do Norte 11/06/2018

Operadores uruguaios descobrem os encantos do Rio Grande do Norte

Famtour, que conta com apoio da Embratur, apresenta atrativos turísticos da capital potiguar e de Pipa, uma das praias mais conhecidas do Brasil Um grupo de operadores do Uruguai desembarcou nesta quinta-feira (07) no Rio Grande do Norte para cumprir uma série de visitas aos pontos turísticos de Natal e Pipa. Organizado pelo Comitê Descubra Brasil, a ação conta com apoio da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), companhia aérea LATAM, Embaixada do Brasil em Montevideo e a Empresa Potiguar de Promoção Turística (Emprotur). “Queremos diversificar os destinos turísticos consumidos pelos latino-americanos. O Nordeste tem um grande potencial de sol e praia, belezas naturais e cultura que atrai esse público. O famtour ajuda a mostrar àqueles que fazem os pacotes e vendem as viagens os benefícios de ter em suas prateleiras um destino como o Rio Grande do Norte, por exemplo”, explica Leila Holsbach, assessora da Diretoria de Inteligência Competitiva e Promoção Turística do Instituto. Até o dia 12 de junho, o grupo, composto por 20 representantes do trade do Uruguai, conhecerá a infraestrutura turística das cidades, a rede hoteleira, restaurantes e pontos turísticos. Será oferecido um jantar pelo governo do estado no domingo, dia 10. A ação foi articulada durante o ‘Meeting Brasil – Missão Rio Grande do Norte’, promovido pelo Governo do RN com recursos do Governo Cidadão via empréstimo do Banco Mundial. O evento aconteceu em maio, em cidades da Argentina, Paraguai, Chile e Uruguai. Para o diretor-presidente da Emprotur, Rogerinho Pessoa, o Rio Grande do Norte conta hoje com infraestrutura turística capaz de receber maior número de visitantes e se manter como porta de entrada para os destinos no Nordeste brasileiro, “oferecendo em seus principais atrativos uma gama de opções para além de Sol e Praia”, destacou. Mercado uruguaio – Em 2017, cerca de 330 mil uruguaios desembarcaram em destinos turísticos brasileiros, um crescimento de 15,5% em relação ao ano de 2016. De acordo com a Demanda Turística do Ministério do Turismo, a maioria desses turistas (87,3%) já vieram para o Brasil outras vezes e 98% disseram que têm intenção de retornar.    

Artigo

Desenvolvimento econômico aliado ao bem natural 15/05/2018

Desenvolvimento econômico aliado ao bem natural

O turismo brasileiro precisa voltar seu olhar, de forma objetiva, para um de seus principais ativos de competitividade turística - a natureza. O mundo já reconhece esse potencial. Somos o mais rico em ecossistemas o que, segundo o Fórum Econômico Mundial, nos coloca no topo de uma lista de 140 países como o com maior potencial para desenvolver a atividade turística. Como presidente da Embratur, uma de minhas missões será aumentar a visibilidade e a percepção desta realidade no exterior e que a disseminação destes atributos se converta em desenvolvimento econômico e social para o Brasil. O segmento Turismo de Natureza representou 16,6% das viagens a Lazer para o país. Outro trunfo são os parques nacionais. Houve crescimento de 11,5% no número de turistas nas unidades de conservação em 2017. Este ano, são esperados o número recorde de 8,6 milhões de turistas nas áreas protegidas. Neste cenário, o horizonte de possiblidades para o Mato Grosso e toda a região do Pantanal está a perder de vista. Por que não aproveitar todo o potencial do bioma para desenvolver esse nicho da atividade? O turismo, gerido de forma sustentável, pode literalmente mudar a situação econômica de uma região. Os recursos do setor oriundos do exterior transitam pelos diversos setores da economia e o Impacto positivo que atividade gera para a comunidade local é intenso. Tanto com a entrada de divisas, passando pela abertura de novos postos de trabalho, até o incentivo ao empreendedorismo. Esse ciclo virtuoso pode mudar a realidade de uma comunidade. O exemplo de Bonito, no nosso estado vizinho, atesta esse raciocínio. Para tudo isso sair do campo das ideias e ser algo tangível, com viés econômico, é preciso estimular e facilitar a vinda destes turistas internacionais. Por isso, os esforços recentes da Embratur na emissão de visto eletrônico para mercados prioritários deve ser ampliado. A iniciativa já aumentou em 44% os pedidos pelo documento nos Estados Unidos, Austrália, Canadá e Japão no último mês de abril, em comparação com o ano passado. Desenvolver um segmento não quer dizer fechar a porta para os demais. O Turismo de Eventos, por exemplo, pode servir de ponte para o Turismo de Natureza, especialmente no combate à sazonalidade. Exemplo recente aconteceu durante a Copa do Mundo, quando os torcedores estrangeiros que assistiram os jogos em Cuiabá foram responsáveis pelo aumento de 90% na venda de pacotes para o Pantanal. Por que não criar atrativos e diminuir barreiras para incrementar o segmento de turismo de negócios e intensificar esse fluxo o ano inteiro? Em Cuiabá, por exemplo, um participante de um congresso pode chegar em menos de duas horas em destinos como Poconé, Cáceres, Barão de Melgaço e Santo Antonio de Leverger e ter contato com a fauna, observar aves raras e, quem sabe, se deparar com jacarés ou até mesmo uma onça no trajeto da Rodovia Transpantaneira. No meu primeiro dia após a posse na Embratur, iniciamos as tratativas para a realização da FIT Pantanal, importante evento do calendário do Mato Grosso, durante a Abav Expo 2018, no mês de setembro. Além da divulgação do estado para imprensa internacional e operadores de turismo, está previsto um painel sobre o turismo no Pantanal, com a presença de ministros do turismo do Paraguai, Bolívia, além de representantes do governo do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, países e estados que englobam o bioma. O momento para jogar luz sob o tema do turismo no Pantanal será mais que oportuno devido à tramitação em fase final no Congresso Nacional da Lei do Pantanal, que cria mecanismos de proteção ao meio ambiente. O ordenamento é um avanço para a preservação já que a legislação deve ser a mesma para todos envolvidos. Como vimos, há muito trabalho pela frente. Precisamos unir esforços de todas as estâncias do Poder Público para formular uma política de Estado permanente para o turismo. O Mato Grosso tem potencial suficiente para se tornar referência no setor e exemplo de gestão para os demais estados e para o Brasil. Teté Bezerra, presidente da Embratur Artigo publicado originalmente no jornal A Gazeta 

Videos

Participação do Brasil na FIEXPO LATINOAMERICA 2018

Presidente da Embratur, Teté Bezerra, fala sobre a presença brasileira em uma das mais importantes feiras do Turismo de Negócios e Eventos.

Mais Acessadas

Banner Governo

  • Portal Visit Brasil
Voltar ao topo