Destaque

  • Diversidade gastronômica brasileira é destaque em Madri

    Diversidade gastronômica brasileira é destaque em Madri

    Até domingo (1º), a Embratur participa da FITUR, com a presença de 41 cooperados brasileiros  Com objetivo de reforçar ainda mais o trabalho de valorização de ações de promoção da gastronomia como aspecto da cultura brasileira, a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) apresentou o bobó de camarão e o pão de queijo na Feira Internacional de Turismo de Madri (FITUR), que começou na última quarta-feira (28), na Espanha.“A ideia é mostrar a diversidade brasileira através de suas especialidades. Na FITUR, as regiões Nordeste e Sudeste foram muito bem representadas com dois de seus variados pratos típicos. Saborear o Brasil é também conhecê-lo um pouco”, destacou o presidente da Embratur, Vicente Neto. Além da gastronomia, quem passou pelo estande do Instituto na feira teve a oportunidade de ver fotos de destinos brasileiros, como Itacaré (BA), Cataratas do Iguaçu (PR) e Região Amazônica. Jornalistas que participaram de coletiva de imprensa, promovida na quinta-feira (29) no espaço do Brasil, receberam informações sobre as cidades patrimônio e as festas juninas.Entre as ações promovidas na feira, estão promoção de encontros comerciais entre operadores de emissivo e receptivo; reuniões dos representantes do Instituto com operadores de turismo e companhias aéreas que atuam na rota Espanha-Brasil; atividades interativas para público final de marketing digital, e atrações culturais. A FITUR 2015 vai até domingo (1º).De acordo com a organização do evento, a FITUR deve receber 200 mil visitantes de todo o mundo, dos quais 120 mil são profissionais do setor. 

  • Presidente defende aproximação com o setor privado

    Presidente defende aproximação com o setor privado

    Em entrevista à Agência Brasil, Vicente Neto informou que a instituição vai debater ideias de reestruturação da Embratur, visando finalizar uma proposta até marçoO presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Vicente Neto, destacou hoje pela manhã, em entrevista concedida à Agência Brasil, que o projeto de reformulação da Embratur será apresentado ao governo federal até março de 2015 e que com um modelo mais ágil e aberto facilitaria parcerias com o setor privado.“Esse novo modelo permitirá fazer mais com menos”, afirma. “Já que possibilitará parcerias do governo com o setor privado, entrando com recursos para ajudar na promoção, como já acontece em outros países”."Se eu participo de uma feira que custa R$ 600 mil, e convido o setor privado a colocar a metade. Essa possibilidade de parceria público-privada pode garantir mais agilidade e visibilidade", exemplificou.A discussão do que será apresentado ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão considera as hipóteses de manter a Embratur como autarquia, com ajustes que permitam parcerias com o mercado; transformá-la em empresa pública, como já foi no passado. Outra forma de melhorar, segundo Vicente, seria mudar sua natureza jurídica para empresa pública mista ou empresa pública não estatal, nos moldes da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).“A primeira ideia é a mais rápida, por não requerer discussões no Poder Legislativo, e a última aproximaria a Embratur de experiências como a da agência de promoção norte-americana Brand USA, que divide investimentos com o setor privado de igual para igual”, ressaltou.Segundo o presidente da Embratur, os servidores do órgão também vão elaborar uma proposta, e consultas jurídicas estão sendo feitas para buscar um modelo híbrido, que favoreça a parceria público-privada sem trazer retrocessos trabalhistas.Vicente Neto disse à Agência Brasil que a Embratur cumpriu sua função na promoção do País na Copa do Mundo, e também tem bom desempenho nos preparativos para as Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016. Apesar disso, considera que é necessário modernizar a instituição para garantir o crescimento contínuo do fluxo de turistas após os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos. "Temos muita convergência em relação a esse assunto dentro da Embratur e com o Ministério do Turismo. Todos concordamos com a necessidade de reformulação", disse Vicente Neto. 

  • Turismo internacional cresceu 6% na América do Sul em 2014

    Turismo internacional cresceu 6% na América do Sul em 2014

    Dados preliminares da Organização Mundial do Turismo mostram que alta na região foi acima da média mundialA América do Sul foi uma das regiões com maior crescimento no turismo internacional em 2014. É o que aponta o estudo UNWTO World Tourism Barometer, recém-divulgado pela Organização Mundial do Turismo (OMT), com dados preliminares de 2014. Com 29 milhões de visitantes estrangeiros no ano passado, a América do Sul teve um aumento de 6%, o dobro em relação a 2013.Para a OMT, a realização da Copa do Mundo no Brasil contribuiu para os resultados positivos na América do Sul. A entrada no Brasil de visitantes internacionais aumentou em 10% nos sete primeiros meses de 2014, e 60% nos meses de junho e julho. O torneio mundial trouxe mais de 1 milhão de visitantes ao País no ano passado.“A Copa do Mundo 2014, disputada no Brasil, foi um sucesso. Para o turismo brasileiro, o torneio foi uma oportunidade de milhares de visitantes do exterior conhecerem o país, vivenciara diversidade da nossa cultura, da nossa gastronomia e conhecer o nosso povo. Com a Copa, nosso País se consolidou como palco de grandes eventos”, afirmou o presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Vicente Neto.O incremento do turismo mundial está relacionado ao aumento na oferta de voos internacionais. De acordo com levantamento da Embratur, em 2014 houve crescimento de 30,97% no número de voos internacionais para o Brasil, em comparação com 2010. Os dados mostram que a América Latina continua sendo a região com maior quantitativo de voos com destino para o Brasil. O número passou de 26.624 em 2010, para 34.107 voos em 2014, representando incremento de 28,10% na malha aérea com nosso País.Dentro do subcontinente, a Argentina se mantém como principal emissor de turistas para o Brasil, inclusive com maior oferta de voos em relação aos demais países vizinhos. Foram 13.817 em 2014. E agora em janeiro, Brasil e Argentina ganharam mais uma ligação aérea, com voos diretos e semanais entre Buenos Aires e Recife. 

  • Nota de esclarecimento da Embratur a respeito da empresa Enbratoursite Entertainment and Hosting for Tourist

    Nota de esclarecimento da Embratur a respeito da empresa Enbratoursite Entertainment and Hosting for Tourist

    A Embratur - Instituto Brasileiro de Turismo, autarquia vinculada ao Ministério do Turismo, esclarece que não comercializa espaço para publicidade em seu site oficial: www.embratur.gov.br , às agências de viagens e turismo, hotéis, pousadas, restaurantes, embaixadas, aeroportos, casas de câmbios e outros, nem menos realiza nenhuma modalidade de cadastramento ou recadastramento de entes públicos ou privados.A Embratur não faz transações financeiras em nome de outras empresas. Também não há representação do órgão em outras cidades do País, além de Brasília.Informamos ainda que a Embratur não tem nenhum vínculo com a Enbratoursite Entertainment and Hosting for Tourist, responsável pelo site http://www.enbratoursite.com.br .Desde 2003, o Instituto é responsável exclusivamente pela promoção, marketing e apoio à comercialização dos destinos, serviços e produtos turísticos brasileiros no mercado internacional. 

  • Embratur comemora aumento de contratações temporárias

    Embratur comemora aumento de contratações temporárias

    Pesquisa realizada pela CNC projeta a criação de 35 mil postos de trabalho temporários no setor de Turismo, durante o verãoPesquisa realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) prevê a criação de 35,5 mil postos de trabalho temporários no setor de turismo em todo o País, no verão de 2015. O presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Vicente Neto, comemora o resultado, destacando o favorecimento do setor no País.“De acordo com a CNC, o verão é responsável pela geração de 72% da oferta anual de vagas temporárias no turismo brasileiro. Os dados mostram a importância do Turismo para o fortalecimento da economia do Brasil”, destaca Neto.Segundo a pesquisa divulgada nesta terça-feira (27), o aumento da oferta representa crescimento de 1,1% em relação ao mesmo período do ano passado. Além disso, a confederação projeta um aumento de 3,6% na média do salário oferecido aos trabalhadores.O segmento do setor que mais deve abrir postos de trabalho é o de alimentação fora do lar, que inclui bares e restaurantes, e é responsável por mais da metade (53,4%) das vagas criadas, o que equivale a 18,9 mil postos. Em seguida, está o setor de hospedagem (pousadas, hotéis e similares), com 30,7% do total de empregos no turismo, no período, gerando 10,9 mil vagas.Já os que deverão oferecer maiores remunerações são os de transportes (R$ 1.561), serviços culturais (R$ 1.395) e de hospedagem (R$ 1.065). Bares e restaurantes deverão ofertar salário médio de R$ 971. O estudo feito pela CNC traça um perfil da mão de obra no setor de turismo segundo a faixa etária e o grau de instrução, lista os profissionais mais demandados e demonstra como está a ocupação no turismo segundo as regiões geográficas.A pesquisa também traça o perfil do trabalhador no turismo. De acordo com a CNC, o Nordeste ultrapassou a região Sul do país e concentra 15,8% dos empregados no turismo brasileiro, contra 15,1% de seis anos atrás. A região Sudeste ainda concentra mais da metade dos trabalhadores do setor (58,0%). Esses dados são de 2013. 

  • Número de voos para o Brasil tem alta de 30,7% em quatro anos

    Número de voos para o Brasil tem alta de 30,7% em quatro anos

    Estados Unidos foi o país com maior número de voos para o nosso País em 2014 e voos que partem da Ásia e Oceania registraram aumento de 87,32%Os Estados Unidos, segunda maior delegação nas Olimpíadas de 2012, foi o país com maior número de voos para o Brasil em 2014. O visitante norte-americano tem a sua disposição 14.573 voos por ano para o Brasil, país que sediará os próximos Jogos Olímpicos, em 2016. De acordo com levantamento da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), a oferta de voos internacionais para o Brasil registrou aumento de 30,97% em 2014, em comparação com 2010, período de realização das duas últimas Copa do Mundo.“Os dados mostram oportunidade de crescimento para o turismo internacional brasileiro, com foco nas Olimpíadas de 2016. A aviação é um elemento essencial para a atração de turistas e o Brasil é um destino de longa distância para a maior parte dos principais emissores de turistas no mundo, por isso a importância de se fazer avaliações, pois nos trazem um norte da situação geral”, explicou o presidente da Embratur, Vicente Neto.Todos os continentes apresentaram crescimento no período. Além da América do Norte, outro continente com forte incremento na oferta da malha aérea para o País foi a Ásia/Oceania. Entre 2010 e 2014, a região aumentou em 87,32% o número de voos, grande parte em consequência do início da rota diária entre Dubai e Rio de Janeiro operada pela Emirates, a partir de janeiro de 2012.A América Latina continua sendo o continente com maior quantitativo de voos com destino para o Brasil. O número passou de 26.624 em 2010, para 34.107 voos em 2014, representando incremento de 28,10% na malha aérea com nosso País. Na região, ganham destaque Cuba, Equador e República Dominicana, que antes não tinham ligação aérea com o Brasil e passaram a operar voos para o país. No período, Colômbia, Barbados, Panamá e Chile mais do que dobraram a quantidade de voos para o Brasil. Além disso, com 13.817 voos em 2014, a Argentina continua sendo o país da América Latina com maior oferta de voos com destino ao Brasil.

    • Clipping

      MERCADOS E EVENTOS - Embratur: turista de negócios gasta quatro vezes maisO gasto médio diário do turista estrangeiro que visita o Brasil a negócios ou para participar de eventos é de US$ 329,39 por dia, o que representa quatro vezes mais do que o visitante a lazer, que é de US$ 73,77. Os dados foram aferidos na pesquisa “Impacto Econômico Dos Eventos Internacionais Realizados no Brasil” desenvolvida pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) para a Embratur. A pesquisa foi realizada em 19 eventos internacionais nas cinco regiões do País, entre os meses de abril e setembro deste ano, e ouviu 1.726 participantes.“Com uma permanência média de sete noites, a maioria dos entrevistados informou que pretende retornar – 38,6% em no máximo dois anos. A imagem do país é positiva para 74% e mais, 92% elogiaram a receptividade do povo brasileiro. Essa base quantitativa é muito importante para a Embratur”, destacou o presidente do órgão, Vicente Neto.O estudo mostra que a cidade mais visitada por turistas estrangeiros de Negócios e Eventos é o Rio de Janeiro, com 33,4%, em seguida vem São Paulo (16,4%), Manaus (6%), Foz do Iguaçu (5,8%), Belém (4,4%), Salvador (4,3%). Dos entrevistados, 67,2% estiveram no Brasil pela primeira vez e 60,4% dos que já visitaram o País estiveram aqui por motivo de Negócios e Eventos. As cidades mais visitadas na viagem anterior foram Rio de Janeiro (27,5%), São Paulo (21,6%), Florianópolis (4,9%), Salvador (4,6%) e Foz do Iguaçu (3,6%). “Os turistas que visitaram a cidade de realização do evento pela primeira vez somam 86,7%”, afirmou Neto.Sobre a cidade-sede do evento, 74% dos entrevistados disseram que a imagem é positiva. Sobre a receptividade dos atendentes locais e das pessoas, 92,6% avaliaram como muito boa ou boa.Em dez anos, os congressos e convenções de negócios realizados no Brasil registraram um aumento de 408%. Conforme os dados divulgados em maio pela ICCA , entre 2003 e 2013, o total de eventos passou de 62 para 315. No mesmo período, o número de cidades que sediaram esse tipo de evento subiu 145%, passando de 22 para 54. O ranking divulgado mostra que o país permaneceu entre os dez países que mais recebem congressos e convenções associativas. Veja abaixo o perfil do turista de Negócios e Eventos que visita o Brasil:- 20% são da América do Norte;- 16,2% são da América do Sul;- 23% são da Europa;- 58,6% são homens;- 41,4% são mulheres;- 54,4% dos turistas têm entre 25 e 44 anos;- 97,4% têm nível superior;- 41,9 % têm renda acima de US$ 4.000. Saiba mais: http://zip.net/bcqwwP

    • Notícias

      Até domingo (1º), a Embratur participa da FITUR, com a presença de 41 cooperados brasileiros  Com objetivo de reforçar ainda mais o trabalho de valorização de ações de promoção da gastronomia como aspecto da cultura brasileira, a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) apresentou o bobó de camarão e o pão de queijo na Feira Internacional de Turismo de Madri (FITUR), que começou na última quarta-feira (28), na Espanha.“A ideia é mostrar a diversidade brasileira através de suas especialidades. Na FITUR, as regiões Nordeste e Sudeste foram muito bem representadas com dois de seus variados pratos típicos. Saborear o Brasil é também conhecê-lo um pouco”, destacou o presidente da Embratur, Vicente Neto. Além da gastronomia, quem passou pelo estande do Instituto na feira teve a oportunidade de ver fotos de destinos brasileiros, como Itacaré (BA), Cataratas do Iguaçu (PR) e Região Amazônica. Jornalistas que participaram de coletiva de imprensa, promovida na quinta-feira (29) no espaço do Brasil, receberam informações sobre as cidades patrimônio e as festas juninas.Entre as ações promovidas na feira, estão promoção de encontros comerciais entre operadores de emissivo e receptivo; reuniões dos representantes do Instituto com operadores de turismo e companhias aéreas que atuam na rota Espanha-Brasil; atividades interativas para público final de marketing digital, e atrações culturais. A FITUR 2015 vai até domingo (1º).De acordo com a organização do evento, a FITUR deve receber 200 mil visitantes de todo o mundo, dos quais 120 mil são profissionais do setor. 

    • Artigos Venha conhecer e se divertir no maior Carnaval do mundo

      Embora o Carnaval seja comemorado também em outros países, em especial aqueles onde a Igreja Católica tem mais tradição, foi no Brasil que essa festa popular encontrou sua maior expressão, ajudando a construir uma cultura nacional. Com quatro dias de duração, a festa do Carnaval acontece 40 dias antes da Páscoa, neste ano a partir de 14 de fevereiro, e termina na quarta-feira de cinzas, o primeiro da Quaresma no calendário cristão ocidental. Embora seja visto por alguns como um acontecimento profano, é um momento de muita diversão e alegria para todos que participam.As comemorações estão espalhadas por todo o País, desde cidades maiores a pequenos vilarejos, mas as festas de maior destaque estão no Rio de Janeiro, com o tradicional desfile das escolas de samba; em São Paulo, cujos primeiros registros são de 1604; em Salvador (Bahia), onde os blocos de matrizes africanas, indígenas, afoxés, samba e reggae levam milhares de pessoas às ruas; e em Recife e Olinda, cidades pernambucanas onde o frevo é o destaque para acompanhar o maior bloco carnavalesco do mundo e os coloridos bonecos gigantes de Olinda, com mais de dois metros de altura. No Rio de Janeiro, cidade de belas praias, uma das características do Carnaval é o envolvimento de moradores das comunidades mais pobres, que fazem essa festa um dos principais acontecimentos do ano. Em dois dias de desfile, as 12 escolas principais passam pelo Sambódromo, uma bonita festa colorida, inúmeros carros alegóricos e passistas fantasiados. E com participação de brasileiros de todos os cantos do País e de todas as classes sociais, além de visitantes de diversas partes do mundo. Mas a diversão também está nos blocos de rua _são mais de 400 no Rio_, onde grupos de amigos, famílias e desconhecidos aproveitam para brincar. Além disso, clubes da cidade costumam organizar eventos mais fechados.Na época do Carnaval, o samba passa ser praticamente a música oficial do Rio de Janeiro (e de outras cidades brasileiras). Numa definição simples, o samba é uma das expressões culturais do Brasil, criado pelos descendentes dos negros que vieram da África escravizados nos séculos XVI e XVII.  Com um ritmo contagiante, o samba, termo de origem africana, é tocado com instrumentos de percussão (tambores, surdos, tamborim) e acompanhado por violão e cavaquinho.  E para quem quiser aprender, as quadras das escolas cariocas são um excelente local de visita.Já em Pernambuco, o Galo da Madrugada, criado em 1978 e considerado o maior bloco carnavalesco do mundo, costuma arrastar mais de 1 milhão de pessoas pelas ruas de Recife, com uma excelente orquestra de frevo e muita diversão, que começa pela manhã e não tem hora para acabar. A menos de 10 quilômetros, a festa se completa em Olinda, onde uma das principais atrações, além das diversas ladeiras dessa cidade-patrimônio da humanidade, são as dezenas de bonecos gigantes, os quais o mais conhecido é O Homem da Meia Noite.Mais ao sul, na Bahia, o Carnaval de Salvador, onde alguns dizem que o samba nasceu, a festa costuma durar mais que os quatro dias tradicionais. E aqui, atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu. E as opções de diversão são muitas: nos blocos de rua; nos camarotes organizados por artistas; nas arquibancadas; ou em clubes. Durante o período de Carnaval, mais de 2 milhões de foliões participam da festa. Um dos pontos fortes é o chamado arrastão, no qual trios elétricos comandados por artistas locais, partindo de pontos diferentes, se encontram num ponto da orla da cidade.Projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, o palco do samba em São Paulo, na região Sudeste do Brasil, acontece no Sambódromo do Anhembi. O desfile do Grupo Especial das escolas de samba acontece na sexta-feira, um dia antes da data oficial de início do Carnaval, e no sábado. A cada ano, mais de 100 mil pessoas acompanham esse desfile, além de outras que se divertem nos clubes e blocos de rua da cidade.Em 2014, segundo pesquisa do Ministério do Turismo, o Carnaval atraiu cerca de 6,6 milhões de turistas, entre brasileiros e estrangeiros, e acrescentou R$ 6,1 bilhões à economia brasileira. De acordo com as estimativas, o Rio de Janeiro foi o estado que mais atraiu turistas durante os dias de festa, especialmente a capital, Búzios, Cabo Frio, Petrópolis, Angra dos Reis e Paraty. A projeção é que 1,2 milhão de turistas tenham visitado a região, o que representou um movimento de R$ 1,1 bilhão na economia.O segundo local mais visitado, conforme a pesquisa, foi São Paulo e seus arredores (Santos, Guarujá, Ubatuba e Ilha Bela), com 960 mil turistas e um acréscimo de R$ 885 milhões na economia. E na terceira posição está Recife e adjacências (Olinda, Cabo e Porto de Galinhas) com 850 mil turistas e R$ 787 milhões. Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Evento, o Carnaval em Salvador atraiu 550 mil pessoas, com receita de R$ 1 bilhão. No total, os eventos ligados à essa festa popular geram cerca de 250 mil empregos diretos e indiretos.Como diz uma música do compositor baiano Dorival Caymmi, “o samba da minha terra deixa a gente mole, quando se canta todo mundo bole, quando se canta todo mundo bole. Quem não gosta do samba bom sujeito não é. Ou é ruim da cabeça ou doente do pé”.Vicente Neto, presidente da Embratur

Vídeos

Always