Destaque

  • Gastos de visitantes internacionais em 2014 somaram Us$ 6,914 bilhões, novo recorde

    Gastos de visitantes internacionais em 2014 somaram Us$ 6,914 bilhões, novo recorde

    Impulsionados pelos gastos realizados durante a Copa do Mundo FIFA 2014, as despesas de estrangeiros que vem a turismo no Brasil chegaram a US$ 6,914 bilhões no ano passado, o maior volume nos últimos dez anos, conforme dados divulgados hoje pelo Banco Central. Em dezembro, essas despesas somaram US$ 524 milhões. Na comparação com o desempenho de 2013, o resultado do ano passado representou um crescimento de 3%.Na comparação com outros produtos e serviços que trazem dólares para a economia brasileira, a entrada de divisas com turismo perde apenas para minério de ferro, soja triturada, óleos brutos de petróleo, açúcar em cana e farelo, e resíduos da extração de óleo de soja, conforme dados da balança comercial de 2014, divulgados no começo de janeiro pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio.O saldo de quase US$ 7 bilhões no ano passado deixado no País pelos visitantes internacionais gerou, por exemplo, uma receita maior que a exportação de carne de frango (US$ 6,892 bilhões), café cru em grãos (US$ 6,041 bilhões) e automóveis de passageiros (US$ 3,195 bilhões). “Esses números comprovam a importância do turismo para a economia brasileira, gerando empregos e mais renda para a população”, afirmou o presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Vicente Neto.Em dez anos, desde 2005, a entrada de divisas por meio do turismo registrou alta de 79%, segundo os dados do Banco Central. Junho e julho do ano passado, meses em que a Copa do Mundo de futebol foi disputada no Brasil, registram gastos mensais recordes dos turistas estrangeiros no Brasil: US$ 797 milhões e US$ 789 milhões, respectivamente. Mais de 1 milhão de visitantes internacionais estiveram no Brasil durante o período da Copa.​ “Os resultados de 2014, confirmam que a cadeia produtiva do turismo nacional e internacional tem amplo potencial para continuar crescendo e se tornar um segmento cada vez mais importante para o desenvolvimento do País. Estamos no caminho  certo e sabemos que, daqui para frente vamos chegar a números ainda melhores até os Jogos Olímpicos de 2016”, conclui Neto. 

  • Entrada de turistas sul-americanos cresce três vezes acima da média

    Entrada de turistas sul-americanos cresce três vezes acima da média

    Nos últimos quatro anos em que há dados consolidados sobre a entrada de visitantes estrangeiros, o fluxo de turistas sul-americanos no Brasil cresceu bem acima da média. Em 2009, cerca de 2 milhões de sul-americanos vieram ao Brasil. Em 2013, esse número saltou para 2,936 milhões, conforme dados do Ministério do Turismo. O ingresso geral de estrangeiros no Brasil cresceu 12% no quadriênio 2003-2013. Já o número de visitantes sul-americanos teve aumento de 40%: um resultado três vezes acima da média. Com esse crescimento, o volume de turistas sul-americanos passou a representar mais da metade dos estrangeiros que visitam o país. “Em regra, o turismo transfronteiriço é intrarregional. Estudo da Organização Mundial do Turismo (OMT) aponta que 80% das pessoas que viajam a outro país procuram destinos em sua própria região”, lembra o presidente da Embratur, Vicente Neto. “Até pouco tempo, o Brasil representava um ponto fora da curva desse gráfico mundial”. Novo posicionamentoO presidente da Embratur avalia que o resultado dos últimos anos começa a reposicionar o Brasil no mercado mundial de turismo. Com o aumento da captação de visitantes sul-americanos, o Brasil passa a um novo patamar do número de turistas. “A aposta da Embratur mostrou-se acertada”, afirma Vicente, sobre a decisão da instituição de focar nos países vizinhos. “Sem demérito a outros pólos emissores de turistas ao Brasil, decidimos centrar nossos esforços nos países que têm maior potencial imediato de crescimento do fluxo pela maior proximidade”, afirma. Para 2015, a Embratur planeja uma nova ação que deve render bons frutos para a América do Sul. É a versão para as Olimpíadas do Goal to Brasil. Um sucesso premiado em suas 14 edições ao longo de 10 meses, o modelo de evento realizado nos principais mercados emissores de visitantes ao Brasil vai ser retomado este ano, voltado para os Jogos Olímpicos e com grande participação dos países sul-americanos.

  • Ministro e presidente da Embratur defendem reforma da instituição

    Ministro e presidente da Embratur defendem reforma da instituição

    O ministro do Turismo, Vinicius Lages, e o presidente da Embratur, Vicente Neto, defenderam hoje (21) a reforma da autarquia responsável pela promoção turística do Brasil. A instituição foi criada em 1966 como empresa pública. Depois foi transformada em autarquia e vinculada ao Ministério do Turismo, criado em 2003.Na visão de Vicente e Lages, a instituição precisa de um modelo de gestão mais moderno, para acompanhar as novas demandas de promoção turística. “É preciso mudar, não dá mais para manter o modelo atual”, afirmou Vicente em entrevista ao Portal Panrotas ao final do ano passado. “Temos pressa e queremos deixar tudo encaminhado para o novo ministro do Planejamento”.Uma proposta já foi colocada em consulta pública no final de 2013 e debatida na Comissão de Turismo do Senado; em evento da ABAV (Associação Brasileira de Agências de Viagem) em São Paulo; e na reunião do Conselho Nacional do Turismo (CNC) do final do ano passado. “Não houve quem fosse contra. Todo o trade está com a gente, pois eles entendem que a mudança é necessária”, afirmou Vicente.Hoje, em entrevista coletiva no Rio de Janeiro, o ministro seguiu o mesmo tom. Segundo ele, o modelo de gestão da Embratur precisa ser “reformatado”. "O turismo não pode mais atuar de forma isolada, promovendo apenas o turismo e não envolvendo outros negócios", afirmou o ministro Vinícius Lages.

  • Embratur lança game no Facebook

    Embratur lança game no Facebook

    O jogo interativo permite que os usuários criem sua própria república A Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) lançou o “The Republic of Me”, um game que permite ao usuário do Facebook criar seu próprio país, de acordo com sua preferência e perfil. “O jogo tem o objetivo de gerar interação e engajamento do público na rede social. O Instituto busca dar uma atenção especial para os meios digitais, que, cada vez mais, são as principais fontes de informação para os turistas estrangeiros. Em 2013, 37% dos visitantes internacionais que vieram ao Brasil buscaram informações na internet”, explicou o presidente da Embratur, Vicente Neto. Ao acessar a página do Visit Brasil no Facebook, cada participante poderá escolher o símbolo da bandeira, além de selecionar amigos para serem secretários das áreas mais importantes da sua nação, conforme as características mais marcantes de cada amigo, como happy hour, gastronomia e diversão. “Em tom bem descontraído, os usuários podem criar leis e personalizar a moeda de sua república com uma foto de seu rosto, por exemplo”, completou o diretor de Marketing da Embratur, Sérgio Flores. O jogador indica também o principal entretenimento na área do esporte, evento ou música, elegendo a “paixão nacional” do povo. Além disso, tem a opção de criar suas próprias leis e de nomear qual capital brasileira irá receber sua embaixada. No final do game, é gerado um vídeo que pode ser compartilhado no Facebook e que mostra a nação de cada participante. O jogo já está disponível no link: http://on.fb.me/1KCxJH2.

  • Defesa da reforma da Embratur é destaque na mídia especializada

    Defesa da reforma da Embratur é destaque na mídia especializada

    Os jornais do trade destacaram o posicionamento das duas principais autoridades governamentais do turismo brasileiro defendendo uma reforma da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo). "Lages apoia Vicente Neto em reforma da Embratur", destacou o Portal Panrotas, em referência ao ministro do Turismo Vinicius Lages e ao presidente da Embratur.O presidente da instituição, Vicente Neto, defendeu a reforma da Embratur. “É preciso mudar, não dá mais para manter o modelo atual”, afirmou Vicente em entrevista ao Portal Panrotas ao final do ano passado. “Temos pressa e queremos deixar tudo encaminhado para o novo ministro do Planejamento”.Uma proposta foi colocada em consulta pública no final de 2013 e debatida na Comissão de Turismo do Senado; em evento da ABAV (Associação Brasileira de Agências de Viagem) em São Paulo; e na reunião do Conselho Nacional do Turismo (CNC) do final do ano passado. “Não houve quem fosse contra. Toda o trade está com a gente, pois eles entendem que a mudança é necessária”, afirmou Vicente.Em entrevista coletiva no Rio de Janeiro, ontem, o ministro seguiu o mesmo tom. Segundo ele, o modelo de gestão da Embratur precisa ser “reformatado”. "O turismo não pode mais atuar de forma isolada, promovendo apenas o turismo e não envolvendo outros negócios", afirmou o ministro Vinícius Lages.A instituição, criada em 1966 como empresa pública, é responsável pela promoção do Brasil como destino turístico desde 2003, quando foi transformada em autarquia e vinculada ao Ministério do Turismo, criado em 2003.

  • Ministro e presidente da Embratur discutem estratégias de promoção para 2015

    Ministro e presidente da Embratur discutem estratégias de promoção para 2015

    Ministro do Turismo, Vinícius Lages, reúne-se com presidência e diretoria da Embratur para falar sobre agenda de promoção turística internacional para este ano O presidente da Embratur, Vicente Neto, recebeu na última semana o ministro do Turismo, Vinícius Lages para um encontro com assessores e diretores do Instituto para tratar do calendário de feiras internacionais para 2015 e de novas estratégias de promoção internacional do Brasil com foco nos Jogos Olímpicos de 2016, que será no Rio de Janeiro.Na oportunidade, Neto falou sobre as ações promocionais previstas para este ano nos principais eventos internacionais, entre elas o Rock in Rio Las Vegas (Estados Unidos), que acontecerá em maio, e FITUR (Feira Internacional de Turismo), que ocorrerá na próxima semana (de 28 de janeiro a 01 de fevereiro), em Madri (Espanha).“Esse encontro serviu para alinharmos nossa atuação tanto no mercado nacional como internacional e debatermos maneiras consistentes de mostrarmos nossos produtos turísticos e nosso potencial, ainda mais agora que estamos a 18 meses das Olimpíadas de 2016”, destacou Neto. “Além de ser uma oportunidade de tratarmos pontos importantes em torno do desenvolvimento do turismo brasileiro”, completou.Na reunião, as autoridades também discutiram sobre a participação do Brasil na Expo Milão 2015, evento na Itália com duração de seis meses (01 de maio a 31 de outubro) e que conta com a presença de cerca de 150 países. “Estamos trabalhando com afinco e focados nas ações prioritárias. Teremos diversas ações para promover o destino Brasil por meio da gastronomia, diversidade cultural e natural. Dentre as iniciativas programadas estão ações digitais, rodadas de negócios, ação para público final, press trips, entre outras”, finalizou. Além dos representantes da Embratur, a reunião contou com a presença do secretário-executivo, Alberto Alves; diretora de marketing do Ministério do Turismo, Luciana Paiva Fernandes; secretário Nacional de Políticas de Turismo, Vinicius Lummertz e o coordenador-geral de Planejamento, Orçamento e Finanças, Luiz Otávio Tavares.

    • Clipping

      MERCADOS E EVENTOS - Embratur: turista de negócios gasta quatro vezes maisO gasto médio diário do turista estrangeiro que visita o Brasil a negócios ou para participar de eventos é de US$ 329,39 por dia, o que representa quatro vezes mais do que o visitante a lazer, que é de US$ 73,77. Os dados foram aferidos na pesquisa “Impacto Econômico Dos Eventos Internacionais Realizados no Brasil” desenvolvida pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) para a Embratur. A pesquisa foi realizada em 19 eventos internacionais nas cinco regiões do País, entre os meses de abril e setembro deste ano, e ouviu 1.726 participantes.“Com uma permanência média de sete noites, a maioria dos entrevistados informou que pretende retornar – 38,6% em no máximo dois anos. A imagem do país é positiva para 74% e mais, 92% elogiaram a receptividade do povo brasileiro. Essa base quantitativa é muito importante para a Embratur”, destacou o presidente do órgão, Vicente Neto.O estudo mostra que a cidade mais visitada por turistas estrangeiros de Negócios e Eventos é o Rio de Janeiro, com 33,4%, em seguida vem São Paulo (16,4%), Manaus (6%), Foz do Iguaçu (5,8%), Belém (4,4%), Salvador (4,3%). Dos entrevistados, 67,2% estiveram no Brasil pela primeira vez e 60,4% dos que já visitaram o País estiveram aqui por motivo de Negócios e Eventos. As cidades mais visitadas na viagem anterior foram Rio de Janeiro (27,5%), São Paulo (21,6%), Florianópolis (4,9%), Salvador (4,6%) e Foz do Iguaçu (3,6%). “Os turistas que visitaram a cidade de realização do evento pela primeira vez somam 86,7%”, afirmou Neto.Sobre a cidade-sede do evento, 74% dos entrevistados disseram que a imagem é positiva. Sobre a receptividade dos atendentes locais e das pessoas, 92,6% avaliaram como muito boa ou boa.Em dez anos, os congressos e convenções de negócios realizados no Brasil registraram um aumento de 408%. Conforme os dados divulgados em maio pela ICCA , entre 2003 e 2013, o total de eventos passou de 62 para 315. No mesmo período, o número de cidades que sediaram esse tipo de evento subiu 145%, passando de 22 para 54. O ranking divulgado mostra que o país permaneceu entre os dez países que mais recebem congressos e convenções associativas. Veja abaixo o perfil do turista de Negócios e Eventos que visita o Brasil:- 20% são da América do Norte;- 16,2% são da América do Sul;- 23% são da Europa;- 58,6% são homens;- 41,4% são mulheres;- 54,4% dos turistas têm entre 25 e 44 anos;- 97,4% têm nível superior;- 41,9 % têm renda acima de US$ 4.000. Saiba mais: http://zip.net/bcqwwP

    • Notícias Gastos de visitantes internacionais em 2014 somaram Us$ 6,914 bilhões, novo recorde

      Impulsionados pelos gastos realizados durante a Copa do Mundo FIFA 2014, as despesas de estrangeiros que vem a turismo no Brasil chegaram a US$ 6,914 bilhões no ano passado, o maior volume nos últimos dez anos, conforme dados divulgados hoje pelo Banco Central. Em dezembro, essas despesas somaram US$ 524 milhões. Na comparação com o desempenho de 2013, o resultado do ano passado representou um crescimento de 3%.Na comparação com outros produtos e serviços que trazem dólares para a economia brasileira, a entrada de divisas com turismo perde apenas para minério de ferro, soja triturada, óleos brutos de petróleo, açúcar em cana e farelo, e resíduos da extração de óleo de soja, conforme dados da balança comercial de 2014, divulgados no começo de janeiro pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio.O saldo de quase US$ 7 bilhões no ano passado deixado no País pelos visitantes internacionais gerou, por exemplo, uma receita maior que a exportação de carne de frango (US$ 6,892 bilhões), café cru em grãos (US$ 6,041 bilhões) e automóveis de passageiros (US$ 3,195 bilhões). “Esses números comprovam a importância do turismo para a economia brasileira, gerando empregos e mais renda para a população”, afirmou o presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Vicente Neto.Em dez anos, desde 2005, a entrada de divisas por meio do turismo registrou alta de 79%, segundo os dados do Banco Central. Junho e julho do ano passado, meses em que a Copa do Mundo de futebol foi disputada no Brasil, registram gastos mensais recordes dos turistas estrangeiros no Brasil: US$ 797 milhões e US$ 789 milhões, respectivamente. Mais de 1 milhão de visitantes internacionais estiveram no Brasil durante o período da Copa.​ “Os resultados de 2014, confirmam que a cadeia produtiva do turismo nacional e internacional tem amplo potencial para continuar crescendo e se tornar um segmento cada vez mais importante para o desenvolvimento do País. Estamos no caminho  certo e sabemos que, daqui para frente vamos chegar a números ainda melhores até os Jogos Olímpicos de 2016”, conclui Neto. 

    • Artigos Brasil investe em mídia digital para promover o turismo internacional

      O Brasil vem passando por um amplo processo de exposição midiática gerado pela captação, promoção e realização dos megaeventos. Apesar de atrair um público cada vez mais eclético, pelos diversos perfis de interesse dos eventos esportivos, religiosos, culturais e científicos, as tendências mundiais do segmento turístico vêm sendo insistentemente comprovadas.Uma delas é a crescente utilização das mídias digitais para o planejamento, compra e compartilhamento da experiência de viajar, no caso, do turista estrangeiro que visita o país. Na Europa, por exemplo, 32% dos usuários de internet realizaram compras on-line de viagens de férias neste ano, segundo dados da Eurostat. Há cinco anos, esse índice era de 21%. Ainda segundo a consultoria, 75% das pessoas entre 16 e 74 anos da Comunidade Econômica Europeia usam a internet e, desse total, 59% realizaram algum tipo de compra on-line neste ano.Nesse contexto, é relevante citar que a estratégia e a decisão de investimento nas mídias digitais, inclusive nas ações de promoção do Brasil como destino turístico internacional, ganham, a cada dia, maior relevância no processo de planejamento das organizações públicas e privadas. E com o objetivo de melhorar o bom desempenho, a Embratur (Instituto Brasileiro do Turismo) vem ampliando suas ações de comunicação digital nos últimos anos, por meio do lançamento de aplicativos, de publicidade e de produtos e serviços de relações públicas.Um exemplo desse tipo de ação é a plataforma Sunny Days que ficou com o troféu de bronze na categoria melhor uso de mídia interativa, na etapa nacional do prêmio Ampro Globes Award. Criada com base na ideia de que a incidência do sol está diretamente ligada ao bom-humor, a ferramenta calculava quantos dias de sol a pessoa viveu no último ano e a convidava para visitar o Brasil e viver mais dias de sol e felicidade. Os resultados não podiam ser melhores: o site ficou no ar de dezembro de 2013 a fevereiro de 2014 e em um mês alcançou a marca de 27 mil visualizações, além de ter sido acessado em 90 países diferentes, com destaque para Estados Unidos, França e Reino Unido.O acesso ao Visit Brasil, portal de promoção do Brasil como destino turístico, por sua vez, aumentou 189% no Instagram entre julho e agosto deste ano, quando foram divulgadas fotos de cartões postais de cidades brasileiras feitas pelo russo Murad Osmann. O www.visitbrasil.com, rede social administrada pelo Instituto, divulga o País no exterior e conta, atualmente, com 6.438 “curtidas”.Após a ação, a média de curtidas nas fotos do perfil Visit Brasil subiu de 200 para 600. O fotógrafo russo publicou seis fotos do Brasil. Ao todo, foram mais de 1,2 milhão de interações nas imagens que destacaram os destinos brasileiros. Murad citou o Visit em todas as publicações, além de utilizar as hashtags #visitbrasil e #lovebrazil. Passamos de 2.108 seguidores em julho para 6.438 após a ação.Durante a ação, Murad divulgou o Maracanã, a Praia de Copacabana, o Cristo Redentor, o Rio Amazonas e as Cataratas do Iguaçu. O perfil do fotógrafo possui atualmente mais de 1,6 milhão de seguidores. Sua média é de 150 mil curtidas por foto, tendo algumas imagens batendo a casa dos 200 mil.Aproveitando a Copa do Mundo no Brasil, a Embratur se uniu ao Google para lançar uma campanha inovadora e promover três novos aplicativos nos principais países para o turismo brasileiro. O sucesso da campanha, que utilizava a abrangência e interação do YouTube, trouxe à Embratur um aumento de cinco vezes no volume de downloads dos aplicativos.A campanha se baseou em pesquisas do Google que demostraram que, nos primeiros cinco meses deste ano, a busca por assuntos relacionados ao Brasil foi 20% maior se comparado com o mesmo período de 2013, e dentre estas buscas, 27% foram feitas a partir de aparelhos móveis. Juntando estes fatos, Google e Embratur realizaram de 23 de junho a 23 de julho uma campanha inédita de divulgação dos aplicativos idealizados pelo Instituto para levar ao mundo informações sobre os destinos turísticos brasileiros.Os aplicativos Fellow Trip, Brasil Quest e Brasil Experience Mobile buscavam promover a Marca Brasil e construir uma relação ainda maior com os usuários de cada país. Como foco da campanha, estavam Alemanha, Inglaterra, Estados Unidos e Argentina, mercados escolhidos pela quantidade de turistas destes países que já procuravam o Brasil antes da Copa do Mundo.Para a campanha, que visava o download dos aplicativos, foi utilizado, de forma inédita por um anunciante brasileiro, o formato YouTube Mobile App Promotion, que funciona em aparelhos móveis disponibilizando um link direto para que o usuário faça o download do app do cliente após a apresentação de um vídeo. Juntamente com este tipo de formato foi veiculado um vídeo de anúncio de engajamento na Rede de Display do Google voltado para mobile.O Fellow Trip, aplicativo para smartphones voltado para montagem de roteiro de acordo com o perfil do usuário, permitiu, por meio de parceria com o TripAdvisor, ver os reviews de pessoas que já estiveram em locais turísticos, além de compartilhar os roteiros criados por outros usuários.No Brasil Experience Mobile, aplicativo para smartphones, o usuário pode criar sua própria experiência: uma sequência de até 4 fotos com ritmos brasileiros como trilha sonora. Além disso, o viajante pode receber sugestões de roteiro para explorar nas 12 cidades-sede da Copa do Mundo, bem como os atrativos próximos à sua localização ou buscar experiências por meio de palavras-chave e categorias de interesse.Com o crescimento do número de pessoas com acesso à internet e do uso de smartphones e tablets, praticamente incorporado ao dia a dia das pessoas, temos a possibilidade de ampliar nossas ações de comunicação digital, buscando contato de maneira mais direta com diversos públicos interessados em conhecer o Brasil, nossa cultura, nossa gastronomia e nosso povo.Vicente Neto é turismólogo e presidente da Embratur. 

Vídeos

Always